quinta-feira, 10 de outubro de 2013

Sair da Igreja?!

(Aqui abaixo segue um texto de nosso santo Co-patrono Dom Marcel Lefebvre, encontra-se em negrito, a importância grandiosa de não se tentar misturar o azeite puro com o óleo impuro. O dever de todo e qualquer tradicionalista de jamais buscar meios modernistas para se colocar no front.)



Evidentemente, poderão objetar-nos: “Deve-se, obrigatoriamente, sair da Igreja visível para não perder sua alma, sair da sociedade dos fiéis unidos ao Papa?”

Não somos nós, mas os modernistas que saíram da Igreja. Quanto a dizer "sair da Igreja VISÍVEL" é equivocar-se assemelhando Igreja oficial e Igreja visível.




Nós pertencemos à Igreja visível, à sociedade dos fiéis sob a autoridade do Papa, pois, não recusamos a autoridade do Papa, mas o que ele faz. Nós reconhecemos que o Papa tem autoridade, mas quando ele a usa para fazer o contrário daquilo que lhe é facultado fazer, é evidente que não podemos segui-lo.

Sair, portanto, da Igreja oficial? Em uma certa medida, sim, evidentemente. Todo o livro de Jean Madiran, A Heresia do século XX, é a história das heresias dos Bispos. É necessário, portanto, que saiamos do meio destes Bispos, se não desejamos perder nossa alma.

Mas isso não é suficiente, posto que é em Roma que a heresia se instalou. Se os Bispos são heréticos (mesmo sem tomar este termo no sentido e com as conseqüências do direito canônico), não é sem a influência de Roma.

<<Se nós nos distanciamos deste tipo de gente, é com a mesma precaução que se toma para com as pessoas que estão com AIDS. Não queremos nos contaminar. Ora, eles estão com AIDS espiritual, uma doença contagiosa. Se quisermos guardar a saúde, não devemos aproximarmo-nos deles.>>

Sim, o liberalismo e o modernismo se introduziram no Concílio e no interior da Igreja. São idéias revolucionárias e a Revolução, que encontrávamos na sociedade civil, passou para dentro da Igreja. O Cardeal Ratzinger não mais esconde esse fato: eles adotaram as idéias não da Igreja, mas do mundo e eles acham que devem fazê-las entrar na Igreja.

Ora, as autoridades não mudaram sequer uma vírgula de suas idéias sobre o Concílio, o liberalismo e o modernismo. Eles são a anti-Tradição, Tradição como a Igreja compreende e como entendemos. Essa noção não entra no conceito deles. Pois sendo o conceito deles evolutivo, eles são contra essa Tradição fixa, na qual nós nos mantemos. Estimamos que tudo aquilo que nos ensina o catecismo nos vem de Nosso Senhor e dos Apóstolos e que nada mudou. Isto é claro. As três partes do catecismo nos vêm de Nosso Senhor. Por que mudá-las? Nós não podemos evoluí-las. O Credo, os Mandamentos de Deus, os meios de nos salvar, os Sacramentos, o Santo Sacrifício da Missa e a oração, tudo isso, vem diretamente de Nosso Senhor. Tudo isso, é nosso catecismo, que nos é dado, geralmente, com nosso batismo, que nos é colocado entre nossas mãos. Tudo isso é nosso estatuto, desde o momento que Nosso Senhor desejou que todos fossem batizados, que todos adotassem o Credo, o Decálogo, os Sacramentos que Ele instituiu, bem como o Santo Sacrifício da Missa e as orações. Para eles, não, tudo isso evolui e evoluiu com o Vaticano II. O fim atual da evolução é o Vaticano II. É por isso que nós não podemos nos ligar a Roma. Teria sido possível, se tivéssemos podido nos proteger completamente como, de fato, pedíamos. Mas eles não quiseram. Eles recusaram os membros que pedíamos para a comissão, eles recusaram o número de Bispos que pedíamos, recusaram o número de Bispos que eu lhes apresentei. Estava claro: eles não queriam que estivéssemos protegidos. Eles queriam ter-nos diretamente debaixo de seus golpes e poder, assim, impor-nos esta política anti-Tradição da qual eles estão imbuídos.

(Dom Marcel Lefebvre)



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Caro leitor,

1- salientamos que seus comentários serão avaliados por nível de qualidade, utilizar de palavras irônicas para desrespeitar os escritores deste blog só te fará perder tempo, pois seu comentário não será aceito.

2- Palavras de baixo calão, ofensivas, caluniosas e baixas não serão aceitas e isso torna seu comentário impublicável.

3- perfis anônimos, fakes, sem foto e sem nome e/ou fictícios não serão aceitos.

4- Se você for modernista nem perca seu tempo comentando em defesa de sua pseudo religião vaticanista II.

5- Ofensas dirigidas ao clero da FSSPX serão automaticamente excluídas.

6- comentários fora dos padrões de coerência com o artigo serão excluídos.

7- Se não gostou do artigo, existem 3 quadrados no canto superior da sua tela, um deles possui um ''X'' clicando nele a sua tela fecha automaticamente evitando assim que você se contrarie mais com nossos artigos e caso queria ser mais prático é só usar o atalho ''Ctrl Alt Del'' ou ''Alt F4''.


Agora fique a vontade pra comentar, seguindo as regras por gentileza.

Spes nostra in Deo est!!!

''As pedras que nos atirares, em flores se tornarão, perfume agradável e suave ao imaculado coração.''

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

Receba nossas atualizações no seu email: